Tempestades, alagamentos e máres de lixo o que pode estar acontecendo?

Mesmo tendo conceitos diferentes, enchentes e inundações acontecem por ações dos rios e nos rios.  A primeira se deve ao seu processo natural e a segunda é ocasionada pela ocupação humana nas suas margens. A situação das cidades está caótica no gerenciamento desses problemas. Em tempos os olhares e investimentos se voltam para as áreas de micro e macrodrenagem. O Fehidro disponibilizou na Baixada Santista, nos últimos sete anos, aproximadamente R$ 55 milhões dos recursos da cobrança pelo uso de recursos hídricos para os municípios com projetos aprovados pelo Comitê de Bacias da Baixada Santista. Então o que pode estar acontecendo? Serão as mudanças climáticas? Ou a ação do homem no consumo exagerado?

O Fórum Pacto pelas Águas da Baixada Santista traz esses e outros temas em seu primeiro diálogo com especialistas e comunidade, que acontece dia 11 em Itanhaém. A conversa será sobre “Enfrentando tempestades, alagamentos e marés de lixo” a partir das 14 horas no Centro de Pesquisa e Educação Ambiental.

Estudos e práticas de diferentes segmentos e instituições serão apresentados. O pesquisador do Núcleo de Pesquisas Hidrodinâmicas da Unisanta, Renan Braga traz reflexões sobre “Ressacas na Baixada Santista: eventos recentes, impactos e sistema de previsão” e João Malavolta do Instituto Ecosurf fará uma análise da conjuntura do cenário local e internacional sobre poluição dos oceanos. Lembrando que Malavolta, em 2014 foi o único Latino Americano a participar da “Expedition Plastic” – expedição científica que percorreu o Oceano Índico produzindo um documentário para a televisão Suíça sobre a poluição dos oceanos pelo plástico. Na área das políticas públicas temos o engenheiro José Augusto Mendes do DAEE – Departamento de Águas e Energia Elétrica falando sobre “Manutenção da micro e macrodrenagem urbana” e contextualizando sobre as novas vertentes da engenharia que trabalham conceitos de renaturalização e revitalização de rios urbanos e explanando sobre a Atuação da Defesa Civil da região, estará presente o coordenador de Defesa Civil de Itanhaém, Edgard da Silva.

“Contaremos com um público diverso. Não teremos um público majoritariamente técnico e assim, o desafio do especialista será promover o diálogo de saberes, entre o conhecimento popular e o técnico que acreditamos ser enriquecedor para o envolvimento e corresponsabilização das instituições e pessoas presentes, na construção do Pacto” declara Semíramis Biasoli, coordenadora do Fórum e secretaria geral do FunBEA – Fundo Brasileiro de Educação Ambiental.

Segundo aponta o Relatório da Situação dos Recursos Hídricos 2019, elaborado pelo Comitê os municípios de Peruíbe e São Vicente apresentam maior risco de áreas inundáveis na região, seguido por Itanhaém e Santos. “Temos como orientação do Comitê, continuarmos incentivando os municípios, principalmente considerando o impacto das mudanças climáticas, a atualizarem seus planos gerais de macrodrenagem,  objetivando diminuir as enchentes e suas conseqüências de contaminação das águas para o meio ambiente” ressalta Sydnei Félix Caetano, secretário executivo do Comitê de Bacias.

O Fórum tem como desdobramento a produção de um e-book “Pacto pelas Águas da Baixada Santista”, que será composto por artigos que vão abranger reflexões teóricas e práticas, relatos de experiência e registros do Fórum. Reconhecendo a importante atuação e relevância de seus trabalhos para o campo das águas, bem como o comprometimento do Comitê de Bacias Hidrográficas da Baixada Santista.

CLEAN UP E OFICINAS CULTURAIS

Por meio de processos participativos importantes para a construção das ações do Fórum iremos realizar duas atividades paralelas, uma em parceria com o Instituto Ecosurf, conhecido nacionalmente pelos seus trabalhos com ações de limpeza de praias; outra atividade, uma Oficina com pintor, escultor e gravurista o Rodrigo Pecci, que há mais de 20 anos trabalha com reaproveitamento e reciclagem de materiais. A ação de limpeza será no Praião em Itanhaém a partir das 9 horas em parceria com o pessoal do Instituto Ecosurf e, com os materiais recolhidos (como garrafas pet, sacolas plásticas, tampinhas e todo o tipo de lixo reciclável que se encontram jogados nas praias), iremos criar, através da Oficina de escultura, peças artísticas que representem os temas discutidos no Fórum Pacto Pelas Águas da Baixada Santista. A Oficina tem início às 14 horas no Centro de Pesquisa e Educação Ambiental.

Vagas limitadas. Inscrições no link abaixo. 

Fórum Pacto pelas Águas da Baixada Santista – ITANHAÉM

Ação Clean UP com Ecosurf
Horário: 9:00 às 12:00
Local: Praião – Itanhaém

Oficina de Escultura com Rodrigo Pecci
Horário: 14:00 às 18:00
Mesa de diálogo: Enfrentando tempestades: chuvas intensas, alagamentos e marés de lixo
Horário: 14:00 às 17:00
Local: Centro de Pesquisas e Educação Ambiental
R. Dom Sebastião Leme, 195 – Itanhaém I HORÁRIO: 14:00 às 18:00

Inscrições clique aqui

Informações para a imprensa: Ana Patrícia Arantes (13) 99146 6608 [email protected]

No mês de março o Fórum Pacto pelas Águas da Baixada Santista vai estar em toda a Bacia da Baixada Santista, no Sul, Centro e Norte para dialogar sobre a situação das águas na região. Dia 4 de março em Itanhaém (Sul), dia 13 de março Bertioga (Norte) e dias 19 e 20 em Santos (Centro). As atrações serão diversificadas com linguagem audiovisual, música, exposições, teatro e mesas de diálogos. Saiba mais informações no site do Fórum e em nossas Mídias Sociais!

TRECHO INSERIDO POSTERIORMENTE À PUBLICAÇÃO 

No dia 3 de março acordamos com notícias de inundações, alagamentos, desmoronamentos. Uma crise socioambiental latente na Baixada Santista. Ficou inviável a realização do evento no dia 04.

Solidários ao momento de crise, reforçamos a importância do evento que estamos trazendo para o início das discussões do Fórum Pacto Pelas Águas da Baixada Santista: “Enfrentando tempestades: chuvas intensas, alagamentos e marés de lixo”, trazendo especialistas para dialogar com gestores públicos e toda a sociedade sobre o enfrentamento dessas questões.

Porém, DEVIDO A FORTES CHUVAS E ALAGAMENTOS NA REGIÃO, transferimos este tão pertinente e importante primeiro encontro, que acontece no município de Itanhaém, para o dia 11 de março.

Deixe um Comentário