Participantes da Região Nordeste compartilham experiências e realizam exercícios para alimentar a Plataforma MonitoraEA.

Coordenação: Ana Patrícia Arantes (FunBEA)

Texto  Enzo Angelo Reis de Oliveira, 18 anos

Entrevistas: Theógnes Freitas

Fotos: Enzo Angelo Reis de Oliveira, Eduardo Melo (Baleia Jubarte) e João Raimundo (Ascom Bahia)

Conheça algumas das atividades desenvolvidas na Oficina de Formação de Formadores em Monitoramento e Avaliação de Projetos e Políticas Públicas de Educação Ambiental

O evento realizado na Bahia, Praia do Forte, no Instituto Baleia Jubarte trouxe educadores ambientais dos sete estados do nordeste que juntos, pensaram políticas públicas, com vistas a mudar o necessário e mobilizar mais pessoas para essa área.

As oficinas aconteceram em três dias, no primeiro foi realizada a abertura geral  com uma mesa institucional e apresentações da Anppea – (Articulação Nacional de Políticas Públicas de Educação Ambiental), Secretarias de Estado do Meio Ambiente e da Educação, além do Instituto Baleia Jubarte. No segundo dia,  26 de março, todos puderam se conhecer e trabalhar em grupo. Pela manhã, os participantes ganharam duas cartolinas, uma era para a apresentação – quem eu sou? de onde? A qual Instituição pertenço? a outra era para a definição do grupo sobre – o que é política pública? e qual a atuação de cada instituição presente dentro das políticas públicas?

Pela tarde, as experiências foram relacionadas aos indicadores de políticas públicas de educação ambiental que são a base da Plataforma MonitoraEA, todos receberam um questionário para ver como serão as perguntas no site, como se já fosse a plataforma online, porém no papel. Com isto os participantes exercitaram um pouco o funcionamento da Plataforma.

No dia seguinte, as atenções foram para o repasse das discussões do dia anterior, e em seguida partiram para as ações necessárias para se cumprir as 16 horas a distância, (além destas 20 presenciais que foram cumpridas na oficina aqui na Praia do Forte), os participantes levaram para sua cidade ou estado a missão de reunir educadores e gestores, que irão preencher ou alimentar a Plataforma MonitoraEA.

Confiram alguns depoimentos:

A oficina têm objetivos de, além de formar formadores, construir um banco de dados. Vamos coletar dados a partir dos 27 indicadores que existem. O formulário será respondido pelos executores de políticas públicas de EA e partir disso  vamos criar o banco de dados piloto” declara Maria Henriqueta Andrade Raymunda, Coordenadora da Secretaria Executiva da Anppea – Articulação Nacional de Políticas Públicas de Educação Ambiental.

A oficina aponta diretrizes de mensuração e também agrega coisas novas para o educador/educadora, turista e comunidade”. Carolina Soares, bióloga, com experiência na área de turismo, que reconheceu algumas diretrizes no seu projeto por meio dos indicadores apresentados.

“Eu destacaria 2 indicadores que já aplicamos: um na dimensão pedagógica, todas nossas ações têm sempre a preocupação de ser um processo pedagógico; o outro da dimensão dialógica. Os indicadores dessas 2 dimensões são os mais presentes nas nossas ações até o momento” disse Zanna Matos, da secretaria de Meio Ambiente do Estado da Bahia.