Confira a repercussão dos indicadores de políticas públicas de educação ambiental

//Confira a repercussão dos indicadores de políticas públicas de educação ambiental

Confira a repercussão dos indicadores de políticas públicas de educação ambiental

2018-12-17T17:11:17+00:00sexta-feira, 14 de dezembro de 2018|Categories: Notícias|0 Comentários

Conversamos com alguns participantes do evento em que os indicadores de EA foram lançados oficialmente, em Brasília, no último dia 6 de dezembro. Selecionamos a seguir algumas declarações sobre a iniciativa.

De Brasília, Waleska Barbosa, para o FunBEA

Foi um processo árduo, demorado, mas que vai nos trazer uma consolidação da EA nos territórios brasileiros. Isso é um estímulo para os educadores continuarem nessa luta, resistindo e buscando alternativas, instrumentos e ferramentas que consolidem essa política.

Simone Figueiredo, representante da Secretaria de Meio Ambiente da Bahia

Tínhamos a dificuldade em transformar isso em elementos que pudessem dizer ou contar para as pessoas sobre sua implementação. O processo de construção, a forma, o fato de termos hoje 27 elementos, é uma contribuição muito importante, vai subsidiar também processos de reflexão e avaliação da prática pessoal. É um ganho histórico.

Zanna Matos, coordenadora de EA da Secretaria de Meio Ambiente da Bahia

É um trabalho coletivo que pode, inclusive, ser aperfeiçoado a partir da nossa atuação.

Professor do curso de Gestão Ambiental da Universidade de Brasília (UnB)

Espero que a partir da iniciativa os grupos nos territórios se apropriem dos indicadores, se instrumentalizem e cobrem do poder público posições que revertam em equidade social, justiça ambiental e na melhoria da qualidade de vida das populações.

Paulo Russo,  Coordenador Geral de Gestão Socioambiental, ICMBIO

Os indicadores vão ajudar a compreender melhor os avanços obtidos e traçar estratégias e ações mais efetivas para os próximos anos no campo da educação ambiental.

Rita Silvana dos Santos, Professora da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília (UnB)

Os indicadores serão muito importantes, uma vez que dialogam com os processos formativos de nossos servidores e do público nos territórios em que o ICMBio atua, como unidades de conservação, parceiros locais e sociedade em geral. Temos agora uma contribuição para que possamos  avaliar os processos educativos que estimulamos e apoiamos.

Thais Ferraresi Pereira, coordenadora de Educação Corporativa do ICMBio

Deixar Um Comentário